Os televisores chegaram em meados de maio ao país, trazidos pela coreana Samsung.  Cerca de duas semanas depois a LG também desembarcou com mais novidades para o mercado. A promessa é que eles chegariam por aqui em abril, mas problemas na produção atrasaram a distribuição dos eletrônicos que só pode chegar às lojas no mês seguinte. Outras fabricantes de televisores, como Sony e Philips, apresentaram duas linhas de televisores para 2010 no começo deste ano, mas só lançarão seus aparelhos compatíveis com a tecnologia 3D no segundo semestre.

Como acontece com muitas tecnologias, apesar dos aparelhos disponíveis ainda não havia programação em 3D para ser assistida. Apenas alguns filmes em Blu-Ray e algumas transmissões experimentais da Copa ofereciam essa possibilidade. A Rede TV! Largou na frente e inovou ao ser a  primeira emissora do mundo a exibir um programa ao vivo em formato 3D, no dia 23 de maio. O problema é pouca gente viu, a não ser, é claro, os convidados que estiveram na sede da empresa para assistir o Pânico na TV, a menina dos olhos da emissora por ser a atração que atinge os índices mais atraentes no ibope. Impossível quantificar quantas pessoas puderam assistir à  primeira transmissão 3D da TV aberta no Brasil. O presidente Lula, ao menos,  pode acompanhar o programa. Isso porque a Rede TV! enviou dois aparelhos para o Palácio do Planalto, em regime de comodato.

Ricardo Prates, empresário que mora na região metropolitana do Rio Grande do Sul, não foi um daqueles que assitiu a primeira transmissão em 3D, mas logo que pode comprou um modelo Samsung de 40 polegadas. Em junho, ele pagou pelo aparelho a quantia de 7.500 reais , mas apesar do investimento, confessa que não assiste televisão com muita frequência. “A curiosidade e a expectativa eram grandes” explica. Uma desvantagem apontada por Ricardo é ter que sentar no sofá para assistir televisão de óculos. “Eu esperava ter a  mesma experiência que tive quando assisti Era do Gelo 3 e Avatar  no cinema”, conta. A falta de tempo também é um motivo apresentado pelo empresário para a pouca utilização do equipamento. Sobre as recomendações que a empresa coloca no manual de uso, –  como não utilizar a TV próximo a escadarias abertas, sacadas ou outros objetos nos quais é possível tropeçar, topar e bater, ou que podem quebrar ou cair –  Ricardo comenta que não leva muito a sério e que achou até inusitado.

De acordo com a assessoria de comunicação da Samsung no Brasil a  recomendação ocorre  pelo fato dos vídeos tridimensionais serem capazes de ocasionar uma série de efeitos colaterais, incluindo náusea causada por movimentos, efeitos secundários relacionados à percepção, orientação, pressão ocular e estabilidade postural.

LCD na dianteira – Uma pesquisa realizada pela consultoria GfK constatou que poucos meses depois do lançamento 62 % dos consumidores brasileiros já conhecem ou pelo menos ouviram falar do modelo. Ainda de acordo com a pesquisa a novidade é bem mais popular entre os jovens 74% contra 52% entre os que têm mais de 56 anos.

Apesar de ser conhecida por apenas 41% dos participantes da pesquisa da GfK, a TV de LCD/Plasma é, no entanto, a mais cobiçada pelos brasileiros. 49% dos entrevistados optariam pelo modelo se fossem comprar uma televisão hoje e os preços fossem semelhantes. A TV 3D com óculos aparece em seguida, lembrada por 27% dos consultados, e a TV de LED recebeu 15% das indicações.

Para aqueles que não pretendem utilizar óculos, a menos que um problema sério exija a Toshiba apresenta uma novidade. A empresa japonesa anunciou em agosto na sua sede em Toquio que está desenvolvendo uma televisão 3D que dispensará o uso de óculos especiais. A porta-voz da empresa, Yuko Sugahara, confirmou os planos de começar a vender o produto ainda este ano. Ceticismos a parte pode ser uma boa alternativa para tentar alavancar as vendas. E, claro, uma redução nos preços, que ainda são considerados salgados, entre R$ 7500 e 12 mil reais.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *