Personagens de Slinkachu medem menos de 5 milímetros (Crédito: blog do artista)

A arte de Slinkachu pode parecer brincadeira: as pequenas intervenções por ele montadas pelas ruas de Londres lembram travessura de criança. Muitos nem as notam, assim como certos adultos não notam a criatividade infantil. Um provável motivo é a falta de atenção da maioria dos transeuntes de caminhar apressado, que não percebem os detalhes da cidade. Mas se alguma das obras foi pisoteada, a destruição é mais justificável pela sua notável pequenez – a série Little people, por exemplo, é feita com personagens de menos de 5 milímetros.

Intervenções ficam registradas em fotos (Crédito: blog do artista)

 Se por um lado parece brincadeira, por outro lado, as obras de Slinkachu não são inocentes. Ele tem um objetivo ao espalhar as suas minipessoas nos lugares de circulação urbanos: evidenciar a opressão da cidade grande, onde os indivíduos são “esmagados” pelo ambiente cinza. Diz-se que o artista veio de uma zona rural da Inglaterra, e sentiu falta da vida que tinha ao ar livre quando se mudou para Londres. A informação não pode ser segura pois assim como o conterrâneo Bansky, que atingiu sucesso com o graffiti mesmo sem revelar seu nome, suas fotos, enfim, sua identidade, Slinkachu sustenta o seu trabalho no nome fictício, sem revelar-se ao público.

Slinkachu grafitta caracóis (Crédito: blog do artista)

Não há também uma forma de localizar o período exato do início das intervenções de Slinkachu, mas as pequenas pessoas começaram a ser vistas a partir de 2006. O projeto mais recente é ainda mais inovador: desde 2008 o artista utiliza como suporte nada menos de caracóis. Recolhe-os, pinta-os, e depois os devolve às ruas. Trata-se da série Inner City Snail, em que ele buscou dar mais movimento à intervenção, ainda que extremamente lento. Uma visível contraposição à ideia de velocidade das sociedades urbanas.

Resta prestar mais atenção nos detalhes da geometria das ruas, já que Slinkachu pode servir de inspiração para artistas de qualquer lugar do mundo.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *