O mercado editorial brasileiro promete lançamentos de autores brasileiros consagrados e inciantes durante o primeiro semestre deste ano. Só a Companhia das Letras, por exemplo, prepara a reedição de quatro títulos do mestre Jorge Amado.

Além de Suor, com relançamento previsto para o dia 28 deste mês, os livros O país do Carnaval (fevereiro), O amor do soldado (abril) e  O cavaleiro da esperança (junho) saem pela coleção que leva o nome do escritor baiano.

A escritora Zélia Gattai, que foi companheira do autor de Gabriela, Cravo e Canela , faz companhia ao na lista de livros esperados para o primeiro semestre de 2011. Morta em 2008, Zélia Gattai terá três livros reeditados pela Companhia das Letras: Crônica de uma namorada, lançado em 1995 pela Record, o único romance da escritora nascida em São Paulo chega às livrarias no dia 27 deste mês;  o infantil Pipistrelo das mil cores também sai em janeiro e Memórias reunidas (maio).

"Suor", do baiano Jorge Amado, foi reeditado pela Companhia das Letras e estará nas livrarias a partir do dia 28 (Crédito: Divulgação)

Ainda pela Companhia das Letras, outros três grandes nomes das letras no Brasil serão reeditados. O genial Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, sairá em março pelo selo que só relança grandes clássicos, a Penguin Companhia. Do fundador da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis, será reeditado neste mês Papéis avulsos e de Erico Veríssimo, estará nas livrarias em março o livro Um certo Henrique Bertaso.

Além desses três grandes autores, Novos poemas & Cinco elegias do magnífico Vinicius de Morais sairá em maio e Memória do sobrinho do meu tio, de Joaquim Manuel de Macedo, será reeditado pela Companhia das Letras no mesmo mês.

Dos autores contemporâneos, Michel Laub lança Diário da queda, em abril. No mês seguinte, o biógrafo Fernando Morais apresenta aos leitores brasileiros Os últimos soldados da Guerra Fria. Eucanaã Ferraz e o ilustrador Fábio Zimbres lançam o infantil A Lua foi ao cinema.

A editora Record também possui nomes de peso lançando livros no primeiro semestre deste ano. A escritora Lya Luft apresenta A riqueza do mundo, um ensaio sobre a existência, “sobre o tanto que desperdiçamos em nossas vidas, mas também sobre o que conquistamos”.

O senhor do lado esquerdo, de Alberto Mussa (autor de O enigma de Qaf ) traz a história de um mistério vivido no Rio de Janeiro da primeira década do século passado.

O grande Fernando Pessoa foi biografado pela primeira vez por um brasileiro. José Paulo Cavalcanti, dono de uma imensa coleção de documentos do poeta português (cartas, bilhetes, fotografias), é o corajoso autor de Pessoa.

A jornalista Miriam Leitão também lança livro pela Record no primeiro semestre deste ano. A colunista de economia do jornal “O Globo” apresenta Saga brasileira: a longa luta de um povo por sua moeda. No texto, Miriam mostra como o brasileiro sofreu até a estabilização econômica do país.

Na linha mesma linha de resgate histórico, a editora Civilização Brasileira traz às livrarias do Brasil dois títulos bastante promissores. O pesquisador Jorge Ferreira refaz a trajetória de João Goulart, em Jango, uma biografia. Para o autor, Goulart foi o último presidente legítimo a manter relações reais de identificação com a sociedade, especialmente com a classe trabalhadora.

A também pesquisadora Monica Schpun conta a história da mulher que ajudou a trazer para o Brasil os judeus de Hamburgo (Alemanha) perseguidos pelo regime nazista. Em Justa, ela apresenta a relação de amizade entre Aracy de Carvalho Moebius Tess e Maria Margarethe Bertel Levy, mulheres que salvaram judeus trazendo-os para São Paulo.

A editora Boitempo vai relançar as Memórias do político comunista Gregório Bezerra no primeiro semestre de 2011. Porém, o livro ainda não tem data prevista para lançamento.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *