Por Julianne Maia*

Fotos de Eduardo Rimoli

Tive a oportunidade de visitar o prédio de mais de 100 anos que ocupa as ruas Cerrito, Viamonte, Tucumán e Libertad, em uma visita guiada no dia 10 de abril. Na foto, a fachada do Teatro Colón em frente à Plaza Libertad.

O prédio começou a ser construído no ano de 1888 pelo engenheiro italiano Francesco Tamburini. Numa tentativa de revitalizar os ares da capital Argentina e tornar a grande cidade uma metrópole moderna, Tamburini idealizou uma construção influenciada pelo glamour de Paris, inspirada no Palácio de Versailles. O átrio principal do Teatro, o Gran Vestíbulo, tem uma escadaria imponente, construída com mármore italiano e português. O chão do Salón Dorado, no primeiro andar, é feito de carvalho da Eslovênia e cada um dos lustres que adornam as suas dependências chega a pesar meia tonelada. A previsão de inauguração do prédio seria para 1892, no aniversário de 400 anos do descobrimento da América, mas foi entregue apenas em 1908.

Além de ser uma casa de óperas, ballets e concertos, o Teatro Colón era o lugar onde a high class portenha se encontrava, para ver e ser vista. Muitas das pessoas que freqüentavam o Colón não necessariamente apreciavam a arte e os grandes salões eram usados para oferecer bailes. A grande temporada de espetáculos acontecia durante o outono e o inverno. O Teatro Colón também foi o primeiro a ter um ballet próprio na América Latina, em 1925, ano em que também criou uma orquestra e coral. O auditório imponente, em forma de ferradura, tem capacidade para 2.478 pessoas sentadas e 500 em pé. O palco rotativo divide-se em três palcos diferentes para a mudança rápida de cenários e tem uma altura de 28 metros. O teto foi primeiramente adornado com arte de Marcel Jambón. Mas a administração do Teatro teve a ideia de colocar pedras gigantescas de gelo na base da construção do Teatro para resfriar a temperatura do local. A água do gelo deteriorou a pintura original e na década de 1970 Raul Sóldi deu um novo rosto à cúpula da casa de espetáculos.

O Teatro não é de propriedade nacional, e sim da administração municipal de Buenos Aires. Em 2001 começaram as primeiras atividades de restauração do prédio, que se constituíram basicamente no polimento de todas as suas peças de ouro puro. Em 2008, a Lei da Autarquia do Teatro Colón deu plena independência às suas atividades, tornando a entidade uma pessoa jurídica com autonomia funcional e financeira. Mesmo sem finalizar as suas obras de restauração, o Teatro foi entregue em maio de 2010 e está novamente aberto a shows e espetáculos como o do pianista Keith Jarret, que pude presenciar no dia 12 de abril

Confira as fotos na nossa galeria, só clicar em cima delas.

[nggallery id=2]

*Julianne Maia é estudante de Jornalismo da Universidade Federal  do Rio Grande do Sul

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *