Então que o Nonada completou um ano de vida no dia nove de setembro – caso ninguém tenha notado ainda. Para comemorar, resolvemos fazer listas com os maiores acontecimentos durante esse período em cada uma das nossas editorias. Na lista de quadrinhos, incluí alguns dos lançamentos interessantes no Brasil e nos Estados Unidos (na expectativa de eles virem para cá eventualmente – fica a dica para as editoras de quadrinhos brasileiras), além é claro de anúncios importantes. Concordam, discordam, retiram, acrescentam? Falem agora, ou… falem depois, também pode.

DCNU – Anunciado em junho, o projeto de reformular os personagens e suas linhas no universo DC começou finalmente em setembro de 2011. Todos os títulos foram iniciados do zero, com personagens ganhando novos visuais e alguns até novos backgrounds (além é claro de apresentar alguns novos personagens). Séries como Batman e Lanterna Verde serão pouco modificadas, mas outras, como o Super-Homem, terão grandes reformulações. Junto das modificações nos títulos, a DC anunciou o lançamento das revistas digitais no mesmo dia de suas edições físicas. Ao todo, 52 novos títulos serão publicados, entre antigos revitalizados e novas séries, tudo para tentar atingir um público novo e ao mesmo tempo manter o interesse dos leitores antigos. Como frequentemente acontece com as duas maiores editoras estadunidenses, esperou-se que a Marvel anunciasse uma mudança semelhante. No entanto, ainda nada foi alterado nos planos da editora.

 

A editora estadunidense Vertical anunciou lançamento de coletâneas de mangás. Entre eles, The Book of Human Insects (que em 2011 virou um dorama na televisão japonesa) e Ayako, ambos de Osamu Tezuka, The Lychee Light Club e No Longer Human, de Usamaru Furuya, este último baseado no livro de Osamu Dazai, e Velveteen & Mandala, de Jiro Matsumoto. Os dois mangas de Tezuka são da década de 70 e ambos tem uma forte personagem principal feminina, sendo que The Book of Human Insects deixa ver a paixão que Tezuka tinha desde criança por insetos (ele alterou um ideograma de seu nome para incorporar a palavra inseto). Os outros lançamentos são mais novos, os dois de Usamaru Furuya, de 2006 e 2009, e Velveteen & Mandala, de 2009. A publicação desses títulos nos Estados Unidos não quer dizer que eles virão para o Brasil, mas aumenta as chances disso acontecer.

 

Xerxes, de Frank Miller. O pessoal da Dark Horse e o próprio Miller já falaram um pouco sobre o projeto, uma história envolvendo o rei da Pérsia, vilão da graphic novel 300, que se passaria dez anos antes da famosa história de Miller. Segundo o autor, a história começa durante a batalha de Maratona, e o personagem principal será Temístocles, fundador da tradição naval grega. Miller já afirmou que ele é o completo oposto de Leônidas. A graphic novel será bem diferente de 300, envolvendo a busca de Xerxes para virar um deus, mas Miller adiantou que a última batalha termina no mesmo dia que começa 300. A primeira edição da revista de divulgação Dark Horse Presents de 2011 trouxe uma prévia da história, deixando diversos fãs na expectativa, e preparações para um filme já estão sendo feitas.

 

Onward towards our Noble Deaths, de Shigeru Mizuki, é lançado pela Drawn & Quarterly. Um relato de sua experiência nos campos de batalha da Segunda Guerra Mundial, onde o mangaka perdeu um braço (e ainda assim é um dos grandes mestres no Japão). Mizuki é um dos grandes nomes do gekiga, um estilo mais sério e adulto de manga, surgido inicialmente em contraste com esse. Se a publicação fizer sucesso por lá, é possível que chegue ao Brasil, até porque é a primeira tradução para o inglês de Mizuki. Mas, por ser a Drawn & Quarterly uma editora alternativa, talvez as editoras brasileiras nem cheguem a cogitar essa possibilidade. Logo, não custa nada torcer.

 

O Free Comic Book Day, nos Estados Unidos, em 7 de maio de 2011. O evento acontece desde 2002 e tem três objetivos: introduzir o prazer de ler quadrinhos para novos públicos, chamar de volta ex-leitores de quadrinhos e agradecer ao público leitor pelo apoio contínuo. Diversos títulos são distribuídos de graça por todos o país pelas várias editoras estadunidenses. Esses gibis são feitos especialmente para a data, e este ano foram títulos como Homem-Aranha, pela Marvel, e Lanterna Verde, pela DC. A data, no entanto, não fica só com as grandes editoras e personagens famosos, servindo de meio de divulgação para artistas independentes se alavancarem para o sucesso. No ano que vem, o evento acontecerá no dia 5 de maio.

 

Art Spiegelman e a editora Pantheon anunciaram o lançamento da graphic novel Meta Maus, com cinco anos de atraso em relação ao cronograma original. Contando making of e bastidores de sua premiada graphic novel Maus (o único quadrinho a ganhar um prêmio Pulitzer), Spiegelman revisita a obra e responde a diversas perguntas que leitores foram fazendo ao longo dos anos. Metalinguístico, como o título indica, o livro será lançado dia 4 de outubro. Meta Maus virá com um DVD contendo o Maus original, uma entrevista em áudio com o pai de Spiegelman, protagonista da história, além de vários outros documentos históricos sobre o holocausto. mas ainda não tem previsão de lançamento no Brasil.

 

A editora Fantagraphics lançou, em julho de 2011, o primeiro volume de Wandering Son, de Shimura Takako, série de manga publicada desde 2002 e muito elogiada no Japão. A história sensível foca um grupo de estudantes lidando com sua sexualidade, principalmente Shuichi, um menino que quer ser menina, e Yoshino, uma menina que quer ser menino. Takako é uma mangaka famosa por suas histórias abordando temáticas LGBT sempre retratadas de maneira singela, afetuosa e bem humorada. Apesar de a Fantagraphics ser uma editora alternativa, a chegada do primeiro volume do manga nos Estados Unidos (no Japão já são onze) deixa possibilidades de ser publicado no Brasil (até porque no Japão essa série virou anime, e nada incentiva as editoras brasileiras a uma publicação de manga como um anime).

 

Edição brasileira de Notas sobre Gaza de Joe Sacco pela Quadrinhos na Cia, da Companhia das Letras. Última publicação do maior nome do jornalismo em quadrinhos, Notas sobre Gaza é seu maior trabalho até agora. O jornalista-quadrinista volta para Gaza e busca entre os refugiados testemunhas ainda vivas de dois conflitos que resultaram em morte de palestinos por soldados israelenses. A ideia desse livro veio quando, ao escrever Palestina, seu primeiro livro-reportagem em quadrinhos, Sacco procurou informações sobre esses conflitos e não encontrou nada além dos registros oficiais, fortemente parciais a Israel.

 

A editora Ática lança o selo Agaquê, para a publicação de graphic novels. Mais uma grande editora com um selo especializado em quadrinhos, o selo já tem duas publicações: Quando eu Cresci, de Pierre Paquet e Tony Sandoval, e Fantasmópolis, de Doug TenNapel. Essa segunda foi finalista do Eisner Awards e tem um projeto de adaptação para o cinema. A terceira publicação do selo Agaquê será Akissi, de Marguerite Abouet e Mathieu Sapin, com lançamento previsto para o Encontro Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte em novembro.

 

Entre os anúncios das editoras de quadrinhos estadunidenses durante a Comic Con, o que mais surpreendeu foi o da IDW (que publica séries de Star Trek, Dr. Who, 30 Dias de Noite e Transformers, entre ourtos). A editora anunciou que vai, em uma parceria com a King Features, trazer o personagem Popeye de volta aos quadrinhos. O marinheiro veterano dos quadrinhos (sua primeira aparição foi em janeiro de 2009 na tirinha Thimble Theater) já fez diversas aparições em quadrinhos por diversos artistas ao longo dos anos, mas a última serializada foi na década de 70. Segundo a IDW, a nova revista do personagem será lançada só em 2012.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *