O austríaco Michael Haneke vence sua segunda Palma de Ouro (Crédito: Valerie Hache-AFP photo)

Chegou ao fim hoje a 65ª edição do Festival de Cannes, com a consagração de Amour, novo filme de Michael Haneke. É a segunda vitória do cineasta austríaco, que já havia sido premiado há três anos por A Fita Branca. Haneke foi aplaudido de pé pelos presentes ao receber a honraria. Amour conta a história de um casal na faixa dos 80 anos de idade que tem seus laços de amor testados quando um deles sofre um ataque cardíaco. O casal é interpretado pelos veteranos Jean-Louis Trintignant (Z, A Fraternidade é Vermelha) e Emmanuelle Riva (Hiroshima, Meu Amor e A Liberdade é Azul). Isabelle Huppert, em seu terceiro trabalho com Haneke (depois do controverso A Professora de Piano e do menos conhecido Tempos de Lobo), vive a filha do casal.

Haneke não foi o único cineasta de renome a ser homenageado. O italiano Matteo Garrone, agraciado em 2008 com o Grande Prêmio do Júri por Gomorra, voltou a receber o prêmio por Reality, obra que conta a história de um humilde pescador que é alçado à fama por um programa de TV análogo ao Big Brother. O filme despertou polêmicas na Itália por empregar o condenado à prisão perpétua Aniello Arena como ator principal. Beyond the Hills, novo trabalho do romeno Cristian Mungiu, recebeu os prêmios de Melhor Roteiro e Melhor Atriz – que ficou empatado entre as duas atrizes principais, Cosmina Stratan e Cristina Flutur. Já o irlandês Ken Loach ficou com o Prêmio do Júri por The Angels’ Share.

O prêmio de Melhor Direção foi para o mexicano Carlos Reygadas, por Post Tenebras Lux, enquanto Mads Mikkelsen (mais conhecido como o vilão Le Chiffre de 007 – Cassino Royale) venceu o prêmio de Melhor Ator por The Hunt, de Thomas Vinterberg. O prêmio Caméra d’Or, que premia o melhor filme de estreia, foi para Beasts of the Southern Wild, dirigido pelo norte-americano Behn Zeitlin. O longa já havia sido premiado na mostra Un Certain Regard e na última edição do Festival de Sundance. Finalmente, o prêmio de Melhor Curta-Metragem foi para Silence, do turco L. Rezan Yesilbas.

No sábado dia 26/05, o drama de guerra ucraniano In the Fog, de Sergei Loznitsa, foi agraciado com o prêmio Fipresci, da Federação Internacional de Críticos de Cinema.

Lista dos vencedores:

Palma de Ouro: Amour, de Michael Haneke.

Grande Prêmio do Júri: Reality, de Matteo Garrone.

Melhor Direção: Carlos Reygadas, por Post Tenebras Lux.

Melhor Ator: Mads Mikkelsen por The Hunt, de Thomas Vinterberg.

Melhor Atriz: empate entre Cosmina Stratan e Cristina Flutur, ambas de Beyond the Hills, de Cristian Mungiu.

Melhor Roteiro: Cristian Mungiu, por Beyond the Hills.

Prêmio do Júri: The Angels’ Share, de Ken Loach.

Caméra d’Or: Beasts of the Southern Wild, de Behn Zeitlin.

Melhor curta-metragem: Silence, de L. Rezan Yesilbas.

Prêmio Fipresci: In the Fog, de Sergei Loznitsa

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments