O artista sul-africano Brett Murray está dando o que falar com a pintura “The Spear”, representação controversa de Jacob Zuma, presidente da África do Sul, em uma posição heroica, mas com os genitais expostos – parte da mostra “Hail to the Thief II” da Goodman Gallery de Johanesburgo. A obra foi motivo para uma ação legal do governante e do seu partido, o ANC, contra a instituição de arte e o artista, o que acarretou no fechamento temporário do espaço expositivo.

O quadro "The Spear" foi danificado no início dessa semana (Crédito: Reprodução/AP)

A iniciativa de fechamento deu-se, segundo a galeria, após uma série de intimidações sofridas que colocavam em risco equipe e público do local. No início dessa semana, enquanto o ANC exigia do Supremo Tribunal que o quadro fosse retirado da galeria, dois homens o vandalizaram. O primeiro homem pintou uma cruz vermelha sobre os genitais representados, e o segundo jogou tinta preta sobre a obra, danificando-a completamente. Ambos foram presos. A reação agressiva de um dos seguranças da galeria, como se pode ver no vídeo de uma equipe de TV que estava no local no momento da ação, criou ainda mais tensão em torno do debate sobre a pintura.

Em uma declaração legal, Murray falou que o seu trabalho “é uma sátira humorística do poder político e do patriarcado dentro do contexto de outras obras na exposição, e no contexto mais amplo do discurso sul-africano”. Trata-se de uma simulação de um famoso poster de Lenin, porém com a perturbadora diferença da cintura para baixo. Uma das possíveis razões da escolha do artista por representar o presidente desta forma é a liberação de Zuma, ocorrida em 2006, de um processo em que era acusado de ter violado uma mulher de sua família. O político já processou diversas vezes órgãos da imprensa sul-africana e membros da classe artística.

O partido está tentando fazer com que o jornal City Press remova a foto do quadro do seu website. A imprensa e a Goodman Gallery argumentam que a proibição da apresentação da imagem não pode ser realizada, já que a Constituição da Africa do Sul protege o direito à livre expressão artística. Envolvendo questões éticas, de privacidade, de liberdade de expressão, além de interesses políticos e comerciais, a polêmica vem ganhando destaque na imprensa internacional.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments