Uma das principais obras de García Márquez é traduzida em mandarim com 27 anos de atraso (Crédito: agência EFE)

 A primeira versão oficial em mandarim de O Amor nos Tempos do Cólera, um dos mais famosos romances do colombiano Gabriel García Márquez, finalmente foi publicada na China, um mercado em que durante anos circularam cópias ilegais de muitas obras do Nobel de Literatura.

 A professora de espanhol Yang Ling foi encarregada da tradução da obra, de 1985, lançada pela editora Thinkingdom nesta segunda-feira, 27, na estatal Academia Chinesa de Ciências Sociais, em Pequim. A professora destacou que, enquanto Cem Anos de Solidão pode ser definido como um livro escrito com “a caneta de Deus”, em O Amor…, “García Márquez se revela como Jesus: com um lado humano e um lado divino”.

 “O que mais me impressionou foi o amor. É um tipo de amor diferente. Os chineses não falam tanto disso porque geralmente somos mais tímidos. García Márquez fala muito do amor. O amor que está em seu livro me comoveu muito. E acaba nos mostrando que é a coisa mais importante da vida e que sem ele não podemos viver”, afirmou ela.

 A diretora do Instituto Cervantes de Pequim (que colabora com a editora do livro), Inmaculada González, declarou que a nova tradução é admirável porque durante muitos só se conheciam na China edições não reconhecidas nem por “Gabo” nem por seu agente. “É um grande passo adiante e também representa um novo momento da situação editorial na China, que cada vez adquire mais direitos de autores estrangeiros e também certamente significa que cada vez serão traduzidos mais autores chineses”, avaliou.

 Em 1990, o escritor colombiano chamou os chineses de “piratas” ao descobrir que suas obras eram traduzidas sem autorização. Com o protocolo de 1991 do Convênio de Berna para a Proteção das Obras Literárias e Artísticas, editoras chinesas, primeiro estatais e depois privadas, tentaram adquirir os direitos da obra, mas consideraram muito alto o preço que Carmen Balcells, agente de Gabo, havia estabelecido.

 A tradução agora publicada, de Thinkingdom Media Group Ltd, é a terceira que a casa editorial apresenta de García Márquez após ter lançado em maio do ano passado a versão oficial de Cem Anos de Solidão e pouco depois o ensaio Eu não Vim Fazer um Discurso.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments