Vocalista Uyara Torrente mostrou carisma e uma voz potente em show no bar Opinião

Texto: Carolina Teixeira

Fotos: Rafaela Ely

 

Pouco mais de um ano após seu primeiro show em Porto Alegre, A Banda Mais Bonita da Cidade voltou à capital gaúcha na sexta-feira, dia 30 de novembro. A banda, que estourou na internet em maio de 2011 com o hit “Oração”, com mais de 11 milhões de visualizações no YouTube, desta vez subiu ao palco do bar Opinião e se apresentou para não mais que 100 pessoas.

Ao contrário do primeiro show, que lotou a pista do Beco de curiosos pela nova febre da internet, na sexta, o público ficou restrito a quem realmente virou fã do grupo. Com uma versão de “Que isso fique entre nós”, do cantor Pélico, de quem a banda tem clara influência no estilo musical, Uyara Torrente (vocal), Vinícius Nisi (teclado), Rodrigo Lemos (guitarra), Diego Plaça (baixo) e Luís Bourscheidt (bateria) abriram a noite.

A banda não pareceu se importar com o fato de a casa não estar lotada. Com a declaração “somos poucos, mas somos quentes”, Uyara deixou isso claro após saudar os fãs e apresentar os músicos. Mantendo o ritmo de brincadeira, sempre rindo, emendou a música “Mercadoramama”, que fez os presentes se divertirem imitando o choro de um bebê com um “bua bua bua bua bua sem parar”.

Além de apresentarem todas as músicas do seu primeiro álbum, A Banda Mais Bonita da Cidade ainda tocou “Lado Frágil”, da banda Mordida, e uma música nova, chamada “Moleque”, voltada ao público infantil. Sobre esta última, Uyara comentou que faz parte de um dos futuros projetos da banda, que pretende gravar um disco para crianças.

A Banda Mais Bonita da Cidade pareceu não se importar por tocar diante de um público reduzido

Porém, foram as baladas do disco, como “Boa Pessoa”, “Canção Pra Não Voltar” e “Solitária”, que emocionaram o público, que cantou junto, e até mesmo a própria Uyara, que segurou as lágrimas ao cantar a melancólica “Nunca”. A interpretação da vocalista ao cantar as músicas com temáticas mais sentimentais é comovente, bem como sua potente voz em músicas como “Ótima” e “Oxigênio”, quando chega a gritar, sem nunca desafinar. Uyara é um dos poucos casos de cantores que soam melhor ao vivo, cantando e dançando, do que no álbum gravado em estúdio.

Apesar de ter sumido das manchetes dos jornais, A Banda Mais Bonita da Cidade mostrou, com muito fôlego, ter amadurecido nos palcos, em uma performance surpreendente, digna de uma banda com anos de estrada. Como era de se esperar, encerrou o show com “Oração”. Nesse momento, a euforia tomou conta da casa, ainda mais quando o baterista Luís Bourscheidt, o “gaúcho”, desceu do palco e foi tocar na pista, no meio do público. Com os versos chicletes cantados em coro, a banda levou o público ao delírio e deixou os admiradores convictos de que seu show não é tão simples quanto se pensa.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments