O Nonada – Jornalismo Travessia completa nesta quarta-feira, 11 de setembro, três anos no ar. E, por mais que não tenhamos muito o que comemorar nos últimos meses, sempre é bom olhar para a nossa trajetória e observar o que construímos ao longo desse período. Até porque olhar para trás é iluminar o futuro – isto é, podemos aprender com os acertos e, talvez muito mais, com os erros.  Diferentemente dos outros anos, dessa vez não haverá nenhuma promoção, ou parceria para celebrar a data. Não podemos nos dar tal luxo porque estamos em um lento processo de revitalização.

É fato que 2013 é o nosso pior ano em termos de atualizações: até setembro foram 72, o que realmente é muito pouco para um site. A falta de postagens e o parcial abandono, obviamente, têm explicações. Uma delas é mais ampla e vai além dos problemas próprios do site. Trata-se da notória dificuldade de se manter uma publicação da área cultural, ainda mais de perfil independente. Para exemplificar, até a Revista Bravo, da editora Abril, foi cancelada recentemente, deixando ainda mais vazio esse espaço editorial no País. Tudo bem, por mais que a Bravo não representasse ou não cobrisse outras partes do Brasil com frequência (fora do eixo Rio de Janeiro e São Paulo) é lamentável que não haja mais investimentos nela. No Rio Grande do Sul, estado que se orgulha tanto de sua tradição cultural, também não há uma grande publicação cultural respeitada em voga. Quando falo isso, me refiro a uma grande revista, a um grande caderno semanal. A verdade é que as tentativas mais interessantes e que atualmente estão tentando fazer algo novo nesse sentido não estão ligadas a grandes empresas; elas são mais independentes e, por isso mesmo, tem dificuldade de se manter. Há vários exemplos de iniciativas desse tipo em Porto Alegre, que procuram trazer um olhar próprio e cobrindo manifestações de cunho mais popular.

A explicação “interna” para o parcial abandono do Nonada também decorre dessa dificuldade de se manter como independente em uma realidade na qual todos os integrantes precisam tocar suas vidas, seja estudando, trabalhando ou se mantendo ocupados com outras obrigações. E a consequência é que acabamos deixando as atividades com o site em segundo plano. Juntamente a isso, também notamos um desânimo forte nos últimos tempos, uma vez que a ideia inicial do site parece ter se perdido. Acontece que lá em 2010 contávamos com uma equipe bem maior, em torno de 10 pessoas, e defendíamos a ideia da reportagem cultural, do aprofundamento da resenha, de boas entrevistas, etc. Da travessia no campo cultural. Tudo isso é muito bonito e durante certo tempo conseguimos manter um bom padrão nesse sentido. Entretanto, três anos depois e com uma equipe muito reduzida, não há como manter o ritmo. Acabamos caindo na agenda e na publicação de notícias em larga escala, uma vez que nosso tempo e nossa organização eram cada vez mais escassas. Todavia, não quer dizer que é o fim: ainda há um novo caminho que pretendemos traçar e, como disse no primeiro parágrafo, a revitalização está lenta, mas irá acontecer.

Ainda defendemos a bandeira de um jornalismo cultural aprofundado, mas estamos repensando o formato e a melhor forma de como podemos nos posicionar e produzir conteúdo em nossa atual situação. É preciso dar um passo para trás para dar dois para frente.  Ao encontro disso, pretendemos muito em breve mudar o layout do Nonada, tornando-o mais dinâmico, possivelmente mais próximo à disponibilização de conteúdo de um blog, sem tanta hierarquização por editorias. Nesse sentido, pretendemos focar em três eixos: a área cultural (que continua sendo o nosso foco), a opinião (textos mais opinativos, comentários, abrindo mais para a possibilidade de explorar o “além do jornalismo”) e o jornalismo (em posts anteriores, e no cerne do Nonada, está a questão da discussão do jornalismo cultural. Nada mais apropriado, portanto, do que dar atenção e espaço para se debater o jornalismo que se produz). Mais do que isso, ainda acreditamos na nossa ideia e sentimos que há pessoas que apreciam o site. Ainda não há uma data definida para a entrada do novo layout e as mudanças, mas esperamos que até outubro já esteja no ar. Por favor, se você está a fim de colaborar com essa nova fase do Nonada, seja com resenhas, entrevistas ou ideias de pautas, entre em contato conosco por nossas redes sociais ou pelo email nonada@nonada.com.br.

Ao longo dos últimos três anos, coletamos várias histórias, reportagens, entrevistas, colaboradores excelentes, premiação do Ministério da Cultura… enfim, a travessia foi bela e também torta. Assim como a vida, com seus altos e baixos, é preciso sempre caminhar para frente – pois, como diria Guimarães Rosa (nosso padrinho espiritual), o que ela quer da gente é coragem. 

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *