Texto Júlia Manzano

(Ponto de Cultura Feminista/ Divulgação)
(Ponto de Cultura Feminista/ Divulgação)

Com a intenção de promover ações artísticas a partir de uma perspectiva feminista e integrar artistas e produtoras, ocorre, na próxima quinta-feira (28), o lançamento do Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão. O projeto é coordenado pela ONG Coletivo Feminino Plural e integra a Rede Nacional dos Pontos de Cultura. O evento será na sala A2B2, na Casa de Cultura Mário Quintana (Andradas, 736).

O programa tem como intenção discutir, a partir de mesas e oficinas, questões relacionadas à arte, corpo e expressão das mulheres, associando ações de formação às discussões feministas.

Na quinta-feira, a noite tem início com a performance Aterro, de Andressa Cantergiani, seguida pela abertura do evento, que receberá representantes do Ministério da Cultura e da Secretaria Estadual da Cultura do Estado, da Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop, da ONG Cirandar, do grupo Ilê Mulher, da Rede Feminista de Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos e das artistas Carolina Pommer, Andressa Cantergiani e Mirela Kruel. Na mesma noite, também serão lançadas a Carta das Mulheres com Deficiência, do grupo Inclusivass e o almanaque Ah… então sou feminista, da Rede Feminista.

A Rede Nacional dos Pontos de Cultura, que agrega o programa, surgiu a partir de um grupo autônomo que articula avanços nas políticas públicas culturais com o Estado e a sociedade. No caso do Ponto de Cultura Feminista, “as políticas públicas e ações sociais que propõem uma atenção às mulheres são quase ações de retratação. Então, qualquer atividade ou atitude relacionada ajuda no respeito a nossa diversidade e é fundamental”, comenta uma das coordenadoras do projeto e membra do coletivo Feminino Plural Luísa Gabriela dos Santos.

Mas o evento não para por aí. Durante todo o mês de maio e junho, várias ações de formação do Ponto de Cultura Feminista acontecem pela cidade. Nos dias 30 de maio e 13 de junho ocorrem duas oficinas: a primeira Arte numa perspectiva feminista será sobre a relação da arte e expressão de mulheres; já a seguinte, Corpo, autonomia e expressão numa perspectiva feminista vai tratar sobre a relação do corpo com diversos aspectos do cotidiano, desde a dança até saúde e violência. No final de junho, nos dias 17 e 24, o Ponto promove mais duas oficinas com o tema Expressão, se utilizando de técnicas de cinema. Todos os encontros têm vagas limitadas. Depois, serão desenvolvidas oficinas sobre o corpo feminino na comunidade da Restinga e atividades relacionadas ao Acervo Especializado e ao ativismo digital no centro de Porto Alegre.

Encontro no evento Semana da Restinga: Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão na Esplanada da Restinga (Crédito:
Encontro no evento Semana da Restinga: Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão na Esplanada da Restinga (Crédito:

Confira abaixo a programação completa do Ponto de Cultura Feminista

28/05 – Lançamento do Ponto de Cultura feminista: arte, corpo e expressão.

18h30 – Performance “Aterro” de Andressa Cantergiani.

19h – Mesa de abertura e Lançamento do Projeto Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão – Lançamento da Carta das Mulheres com deficiência do Coletivo Inclusivass e Lançamento do Almanaque da Rede Feminista de Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos.

21h – Exibição do curta-metragem “Na minha sopa, não”, de Mirela Kruel.

30/05 – Oficina “Arte numa perspectiva feminista”

10h – Maria Fernanda Viegas (jornalista e educadora da ONG Cirandar), Roberta Mello e Taís Ritter Dias (educadora das artes visuais).

14h – Andressa Cantergiani (atriz/performer) e Malu Viana (MC e ativista da Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop).

10/06, 19h – Mesa “Corpo, autonomia e expressão numa perspectiva feminista”

André Musskopf (Escola Superior de Teologia – EST)

Carol Santos (Coordenadora do Grupo Inclusivasde Mulheres com deficiência)

Maria Fernanda Geruntho Salaberry (Coletivo de Mulheres da UFRGS, Rede Relações Livres e Marcha das Vadias)

Maria Luisa de Oliveira (Mestre em saúde Coletiva e integrante da Plataforma Brasil de Direitos Humanos/ONG Sempre Mulher)

Rose Castilhos (Campanha por uma Convenção dos Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos/Ilê Mulher)

13/06: Oficina “Corpo, autonomia e expressão numa perspectiva feminista”

10h: “O corpo numa perspectiva antropológica”, com Fernanda Tussi (antropóloga); “Corpo violado, violência e saúde mental”, com Carol Mombach (estudante de psicologia).

14h: “O corpo da dança”, com Ceia Santos (Bgirl), e “Corpo: do estético ao político a partir do uso de turbantes”, com Vanessa Silva – é necessário levar tecidos para fazer turbantes.

17/06, 19h – Oficina de trabalho com tema “Expressão”

Perspectivas teóricas de vídeo com Mirela Kruel (diretora de cinema).

24/06, 19h – Oficina de trabalho com tema “Expressão”

Oficina prática de vídeo (ministrante a confirmar)

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments