Reportagem: Rafael Gloria

Dados da pesquisa realizada pelo Sistema Estadual de Museus (SEM), órgão ligado à Secretaria de Cultura do Rio Grande do Sul, apontam que a visitação a museus presentes no estado aumentou significativamente em 2018. No ano passado foram registrados 926,294 presenças, enquanto em 2017, foram registradas 595,068 visitas aos museus. É um aumento de mais de 50%.

O ápice das visitações aos museus do Rio Grande do Sul se dá em maio de 2018, quando atinge quase 160 mil pessoas. Neste mês, ocorre a já tradicional Noite dos Museus que, naquele momento, ampliou o número de entidades participantes em relação a 2017, o que refletiu também em um maior público. O período também foi marcado pela 11ª Bienal do Mercosul, que teve como tema as relações entre Brasil, África e Europa na arte. O mapeamento contabiliza museus municipais, estaduais e privados.

Junto ao SEM, estão mapeadas 588 instituições museológicas, sendo que, entre elas, 381 estão devidamente cadastradas. Elas são divididas em sete regiões museológicas, que abarcam as diferentes áreas do estado. Carina Duarte, atual coordenadora do SEM, explica que o levantamento é realizado por meio de formulário de pesquisa, que é encaminhado aos museus via e-mail.  

Dos 381 museus cadastrados junto ao SEM, aproximadamente 20% aderiram à última pesquisa. Apesar de ser um número relativamente pequeno de respostas, ainda é um bom indício de como está a movimentação pelos museus. O objetivo é usar os dados colhidos para a análise e planejamento de ações que ampliem e promovam as visitações em todo o estado. Ações de capacitação complementam a atuação do órgão.

As visitações aos museus de Porto Alegre

Santander Cultural durante Bienal do Mercosul (Foto – divulgação)

O Nonada apurou com exclusividade dados também do número de visitas a museus de Porto Alegre em 2018, integrantes da 1ª Região Museológica. Foram 17 as instituições que responderam à pesquisa do Sistema Estadual de Museus.

A reportagem considerou apenas oito que responderam tanto no primeiro e no segundo semestre: Museu de Ciência de Tecnologia da Pucrs, Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli – MARGS, Museu de Arte Contemporânea, Museu Militar do Comando Sul, Museu do Grêmio Hermínio Bittencourt , Memorial do Rio Grande do Sul, Museu Júlio de Castilhos, Memorial “Do Deutscher Hilfsverein ao Colégio Farroupilha”. O Santander Cultural (atual Farol Santander), apesar de ter sido o mais visitado no primeiro semestre, com mais de 170 mil pessoas, não enviou dados do segundo semestre.

Entre as instituições que enviaram todos os dados, a mais visitada em 2018 foi o Museu de Ciência e Tecnologia da Pucrs, com 139,123 acessos no período, seguido do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS), com 121,003 e o  Museu de Arte Contemporânea (MAC-RS), com 75,022, ambas instituições estaduais. 

O 2° Semestre de 2018 da 1ª RM trabalha em patamares muito importantes ao do período, quase sempre acima de 50 mil visitantes mensais e atingindo o seu auge em Novembro, com 83 mil visitações, o que pode ser ligado ao fato de ocorrer a Feira do Livro de Porto Alegre, no centro histórico, região em que há muitos museus. Entre os que mais se destacaram nesse quesito, segundo o estudo do Sistema Estadual de Museu, estão o Museu de Ciências e Tecnologia da Pontifícia Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) e o Museu Militar do Comando Militar do Sul.

Museus no Brasil

Em âmbito nacional, o órgão responsável por contabilizar a visitação aos museus é o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).  O órgão considera como museus “as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento”, de acordo com o Estatuto dos Museus (Lei nº 11.904/2009). Na plataforma MuseusBR, é possível obter dados sobre todos os 3788 museus cadastrados.

Mariano Anguirre, artesão Guarani ( Foto – Ministério da Cidadania)

Segundo os dados mais recentes divulgados pelo Ibram, de 2017, 32 milhões de visitas foram contabilizadas nos 1001 museus que responderam ao Formulário de Visitação Anual. Para o Ibram, a contabilização das visitas é importante para identificar “exposições de maior público, necessidade de adequação dos serviços oferecidos e de ampliação da ação educativa.”

O Nonada apurou ainda que, entre os cinco museus mais visitados da região sul em 2017, o RS marcou presença em quinto lugar, com o Santander Cultural. O Museu Aberto da Tartaruga Marinha (SC), o Museu Arqueológico ao Ar Livre (Costão do Santinho/SC), o Museu Dinâmico Interdisciplinar (Universidade Estadual de Maringá/PR) e o Museu Oscar Niemeyer (PR) antecederam a instituição gaúcha.

Já entre os museus nacionais, administrados pelo Ibram, o Museu das Missões é o único presente no estado. Segundo o órgão, em 2018, 21 mil visitas foram contabilizadas na instituição, representando um crescimento de 7 mil visitas a mais que o ano anterior.