Foto – Fronteiras (2017), de Apolline Traoré (Burkina Faso) (divulgação)

Saudades de um cineminha? Enquanto não acaba a pandemia de covid-19, o cinema respira com exibições online, o que acabou possibilitando que cinéfilos de todo o país tenham mais acesso a filmes das mais variadas regiões, principalmente neste segundo semestre, com a temporada de festivais.

A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, de 22 de outubro a 4 de novembro, será completamente online, com ingressos a 6 reais, além de títulos gratuitos disponíveis nas plataformas do Cinesesc e da Spcine. Já os filmes do Festival de Cinema de Gramado serão exibidos na TV e na internet para assinantes do Canal Brasil, de 18 e 26 de setembro.

Festivais independentes também tem marcado presença este ano, como o I POADOC – Festival de cinema Documentário de Porto Alegre, que deve ocorrer entre outubro e novembro.

Listamos abaixo 5 festivais para acessar gratuitamente a partir desta semana:

Festival Internacional do Documentário Musical (In-Edit)

De 11 a 19 de setembro, seis filmes do festival estarão disponíveis na plataforma do Sesc Digital. O festival é internacional, mas destacamos aqui dois filmes brasileiros imperdíveis: “Aleluia, o canto Infinito do Tincoã”, de Tenille Bezerra, sobre o artista baiano Mateus Aleluia, ex-integrante da banda Os Tincoãs (De 15/9, terça, às 18h, até 17/09, quinta, às 18h) e “Memórias Afro-atlânticas”, de Gabriela Barreto, sobre a história do linguista negro norte-americano Lorenzo Dow Turner, responsável por gravar e fotografar os terreiros de Candomblé (disponível de De 16/9, quarta, às 18h, até 18/09, sexta, às 18h). Outros títulos que estarão no site do Sesc são “The Men’s Room”, “Ibiza – The silente Movie”, de Julien Temple, “Sufi, Saint and Swinger”, sobre a vida do jazzman Dr. Lloyd Miller. Esses e outros filmes também estao disponíveis no site oficial, a 3 reais cada.

Cine África

O projeto Cine África, que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia, Nigéria, Quênia, Senegal e Sudão, estreia na plataforma do Sesc Digial, exibindo nesta semana o longa-metragem “Fronteiras“, da cineasta burquinense Apolline Traoré. O longa de ficção apresenta a história de três mulheres de origem diferentes, Adjara (senegalesa), Emma (marfinense) e Sali (burquinense), que se encontram em um ônibus na rota entre Bamako (Mali) e Cotonou (Benin). Durante a viagem, elas descobrem belas paisagens africanas e se unem ao enfrentar problemas comuns. Cine África tem realização do Sesc São Paulo e acontece de setembro a novembro de 2020, com exibições, entrevistas e curso. Para saber mais, acesse o site oficial.

Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa

Ainda na plataforma Sesc Digital, está disponível para assistir um filme da Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa. A ficção “1982“, de Oualid Mouaness, traz um retrato de uma linha imaginária de demarcação entre dois mundos, durante um dos momentos mais terríveis da história do Líbano: o mundo adulto e o das crianças, uma fronteira que separa aqueles que conhecem a verdade daqueles que não sabem da gravidade da situação. Apesar do espírito político e antiguerra, o filme não é um thriller de conflito militar, mas um hino à inocência da infância.

Festival Dobra de Cinema Experimental

Entre 8 e 27 de setembro, o cinema experimental é o centro do Festival Dobra. Segundo os curadores, neste ano a seleção identificou, “além de temas recorrentes em edições anteriores, como memória, pesquisa de linguagem, ecologia e política, dois novos grupos de filmes que dialogam com a ficção científica e a estética doméstica”. Todos os filmes podem ser assistidos gratuitamente no site.

É Tudo Verdade

Maior festival de documentário da América Latina, o É Tudo Verdade é central na história do cinema do país. Neste ano, apreciadores de documentários de todo o país vão podem conferir o festival, que ocorre de 23 de setembro a 4 de outubro. Serão 60 longas e curtas-metragens em competição e hors-concours. Entre os longas brasileiros na mostra principal, a curadoria deste ano traz temáticas como biografias de figuras públicas como Jair Rodrigues, além de direitos humanos e de olhares sobre a ditadura militar no Brasil. As sessões serão diárias, e os links estarão disponíveis no site.

%d blogueiros gostam disto: