Texto: Ariel Lara de Oliveira (arye.allarol@gmail.com)

Fotos: Júlia Schwarz (http://www.flickr.com/photos/juli_schwarz/)

O novo baiano Moraes Moreira voltou ao Rio Grande do Sul para fazer shows em Porto Alegre e Pelotas, aproveitando para divulgar seu livro, A História dos Novos Baianos e Outros Versos. Na capital, seu show foi no Salão de Atos da UFRGS, domingo, dia 24 de junho, e talvez pela falta de divulgação – o show foi muito divulgado pela internet, tendo pouca aparição em outras mídias – o público não foi grande. Tampouco foi pequeno, e o que faltou em quantidade, sobrou em qualidade: quem foi, era fã e participou do show com entusiasmo.

Moreira, que começou sua carreira no fim dos anos 60 com Galvão, Paulinho Boca de Cantor, Pepeu Gomes, Baby Consuelo entre (muitos) outros, fez o show homônimo ao livro homenageando a história do grupo e revisitando sua carreira solo. O palco, iluminado apenas para salientar o músico sozinho sentado com seu violão, parecia solitário, se comparado com os diversos integrantes dos Novos Baianos nos anos 70 – Moreira, em compensação, não pesa mais os aparentes 50 quilos da época.

O baiano abriu o show com Canta Brasil, de Alcyr Pires Vermelho e David Nasser, no que foi acompanhado pelo público. Então, recitou alguns versos de cordel do seu livro, sobre a cena da música brasileira no fim dos anos 60, quando do surgimento dos Novos Bahianos. Sucessos dos Novos Baianos – Preta Pretinha, A Menina Dança, Mistério do Planeta e Acabou Chorare foram cantados com animação e grande autoridade pelos ouvintes – recurso que, a bem dizer, Moraes utilizava para disfarçar a rouquidão da idade em sua voz. No entanto, isso não atrapalhou o show.

Com uma segunda declamação – sobre João Gilberto e sua importância para o grupo (depois da qual fez uma indicação do documentário Filhos de João, sobre o grupo, que estreou semana passada em diversas capitais do Brasil), o cantor introduziu Brasil Pandeiro, de Assis Valente, feita famosa pelos Novos Baianos por sugestão de João.

Depois, partiu para sucessos de sua carreira solo. Após uma terceira declamação de seu livro, desta vez sobre autores da literatura brasileira, Moraes cantou Lá vem o Brasil descendo a Ladeira, acompanhado com grande ânimo pelo público. Então, contou uma história sobre um show dos Novos Baianos em Porto Alegre, em 72, depois do qual os integrantes teriam ido ao bar de Lupicínio Rodrigues. Apesar da insistência para que cantasse seus sucessos, Lupi deixava isso a cargo de sua banda, enquanto bebia e cantava (no outro sentido da palavra) mulheres pelas mesas. Assim, Moraes cantou Quem há de Dizer, sucesso do grande compositor gaúcho que conheceu graças a (quem mais) João Gilberto.

Outros destaques do show foram Asa Branca (segunda música de Luiz Gonzaga no show, sendo a primeira do Sanfoneiro Zé Tatu), Cajuína, de Caetano Veloso, Eu também quero Beijar (da carreira solo de Pepeu) e Festa do Interior (famosa na voz de Gal Costa). Depois do bis, em que foi aplaudido de pé, voltou com Felicidade, de Lupicínio, e Eu sou o caso deles, também dos Novos Baianos (apesar do público ter pedido mais repertório dos Novos Baianos, como Swing de Campo Grande e Besta é tu).

Com mais de vinte discos lançados (outro em preparação para ser lançado até o fim do ano), além de seus dois livros (além de Novos Baianos e Outros Versos, o cantor lançou Sonhos Elétricos), Moraes não precisa provar nada a ninguém. Seu show simples, sentado, apenas voz e violão, se por um lado contrasta com a complexa percussão e instrumentalização das versões conhecidas de suas músicas, por outro reafirma o poder daquelas músicas que comoveram e agitaram o público apesar da aparente simplicidade – apenas aparente, pois Moraes mostra muita inventividade nos arranjos e extrema habilidade na execução, resultado, com certeza, de mais de quarenta anos de amizade com o violão em uma longa e prolífica carreira.

Set list:

1 Canta Brasil
2 Declamação do Livro
3 Preta Pretinha
4 A menina dança
5 Mistério do Planeta
6 Acabou Chorare
7 Declamação do Livro
8 Brasil Pandeiro
9 Forró do ABC
10 Sanfoneiro Zé Tatu
11 Declamação do Livro
12 Lá vem o Brasil descendo a ladeira
13 Quem há de dizer
14 Sintonia
15 Cajuína
16 Asa Branca
17 Eu também quero beijar
18 Bloco do prazer
19 Coisa acesa
20 Pombo correio
21 Festa do interior

BIS
22 Felicidade
23 Eu sou o caso deles

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *