Por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) estabeleceu nessa segunda-feira (1º) que o músico não precisa mais do registro na Ordem de Músicos do Brasil (OMB) para exercer sua profissão. Os ministros julgaram o caso de um artista de Santa Catarina que foi à Justiça ao alegar que, em seu estado, ele só poderia atuar profissionalmente se vinculado à entidade de classe.

Em diversos locais do Brasil, os músicos são obrigados a apresentar documento profissional— a “carteirinha de músico”—para poder se apresentar ao vivo. Embora a decisão valha apenas para o caso específico, ficou definido que os ministros poderão decidir sozinhos pedidos semelhantes. Ou seja, se o registro continuar a ser cobrado, será revertido quando chegar ao tribunal.

A relatora do processo, a ministra Ellen Graice, ressaltou que “A liberdade de exercício profissional é quase absoluta”. Segundo ela, qualquer restrição a esta liberdade só se justifica se houver necessidade de proteção do interesse público, por exemplo, pelo mau exercício de atividades para s quais seja necessário um conhecimento específico altamente técnico. “A música é uma arte em si, algo sublime, próximo da divindade, de modo que se tem talento para a música ou não se tem”, completou.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixar um comentário

Não há comentários nessa página ainda. Vamos começar essa conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *