Em comemoração ao dia mundial do rock, os editores do Nonada Daniel Sanes, Paulo Finatto e Rafael Gloria escolheram os seus três álbuns favoritos no gênero. Concorda? Quais são os seus?

Daniel Sanes

Ramones – Rocket to Russia (1977)

“Minha banda favorita de todos os tempos. Podem dizer que o som é tosco ou infantil, mas meu amor pelo Ramones é incondicional – tanto que tenho uma tatuagem no braço direito com o símbolo do grupo. Este disco é a síntese do melhor do punk rock, a despeito de Clash e Sex Pistols terem feito mais sucesso.”

Ouça: Sheena is a Punk Rocker

Motörhead – No Sleep ‘Till Hammersmith (1981)

“O álbum ao vivo mais barulhento da história – e, mesmo assim, chegou ao número 1 das paradas britânicas! Lemmy Kilmister é uma lenda viva e, se tinha alguém que eu queria conhecer pessoalmente, era ele. Este ano paguei mico de tiete e tirei uma foto com o cara em Floripa…”

Ouça: Ace of Spades

AC/DC – Highway to Hell (1979)

“Amo AC/DC com qualquer formação, mas este último disco com o finado vocalista Bon Scott é simplesmente maravilhoso. Logo depois entrou o Brian Johnson e os caras lançaram o Back in Black, o álbum mais vendido da história do rock. Ah, não pode botar mais um na lista?”

Ouça: Highway to Hell

Rafael Gloria

Foo Fighters – The Colour and the Shape (1997)

“O disco que me ajudou a passar no vestibular.  No derradeiro ano de 2006, quando passei boa parte trancando estudando, a música era uma grande companhia. Ouvia esse CD do Foo Fighters direto. Me entusiasmava demais. Inclusive na semana da prova no – quase finado – discman. Puta som. Dave Grohl já sabia alinhar muito bem a sensibilidade do pop com um ritmo mais pesado.”

Ouça: Everlong

The Strokes – Is This It (2001)

“Só percebi o impacto desse álbum em minha vida quando resolvi aprender a tocar baixo para entrar em uma banda. Faltava um baixista no conjuntos que os amigos estavam formando e resolvi tentar. Na verdade, eu só queria estar uma banda para tocar Strokes. E se um CD que te leva querer aprender um instrumento não é importante, então eu não sei mais de nada.”

Ouça: New York City Cops

The Beatles – Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band (1967)

“Sargent Peppers é mitológico. Além de ser um álbum conceitual, há toda a história do mito “Paul Is Dead”, que a capa explora maravilhosamente. Falando na capa, é um trabalho de arte, tida como uma das melhoras já feitas. Esse álbum foi o ápice da música pop em todos os sentidos, e me abriu a cabeça para tudo que ela pode proporcionar.”

Ouça: A Day in the life

Paulo Finatto

Queen – A Night at the Opera (1975)

“Por mais inexplicável que possa parecer, os dois primeiros – e ótimos – discos do Queen não conquistaram o sucesso que mereciam no início dos anos 70. Porém, a partir de “A Night at the Opera” as coisas realmente mudaram a favor de Freddie Mercury & Cia. A grandiosidade das melodias e a riqueza de detalhes impressionam de imediato. Não é por acaso que esse álbum é considerado a obra-prima do grupo e, em minha opinião, um dos repertórios definitivos do rock de todos os tempos.”

Ouça: Bohemian Rhapsody

Deep Purple – Machine Head (1971)

“Os headbangers de carteirinha – classe em que eu perfeitamente me incluo – certamente guardam com enorme carinho as bandas que ajudaram a consolidar o gênero mais pesado e obscuro do rock. O álbum “Machine Head”, lançado pelo Deep Purple, influenciou um número imenso de bandas que cresceriam a partir da década seguinte, sobretudo sob a bandeira da New Wave of British Heavy Metal. As guitarras nervosas de Ritchie Blackmore aliadas ao piano de Jon Lord ajudaram a construir a identidade do heavy metal na sua versão mais clássica.”

Ouça: Smoke on the Water

Lynyrd Skynyrd – Pronounced Leh-nerd Skin-nerd (1973)

“Com influências da country music e do rock britânico – de bandas como The Rolling Stones e Yardbirds –, o primeiro álbum do Lynyrd Skynyrd marcou o início southern rock nos Estados Unidos. A banda, que conquistaria enorme sucesso nos anos seguintes, possui uma imensa massa de fieis seguidores ao redor do mundo, assim como eu. Dos sete integrantes que registraram o disco, apenas Gary Rossington e Ed King (guitarras) e Bob Burns (bateria) continuam vivos.”

Ouça: Free Bird

Jornalista, Especialista em Jornalismo Digital pela Pucrs, Mestre em Comunicação na Ufrgs e Editor-Fundador do Nonada - Jornalismo Travessia. Acredita nas palavras. Twitter: @rafaelgloria
2s comentários

2 comentários em “Para aqueles que curtem rock (nós fizemos uma lista de nossos álbuns favoritos)”

Deixe uma resposta

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support