O austríaco Michael Haneke vence sua segunda Palma de Ouro (Crédito: Valerie Hache-AFP photo)

Chegou ao fim hoje a 65ª edição do Festival de Cannes, com a consagração de Amour, novo filme de Michael Haneke. É a segunda vitória do cineasta austríaco, que já havia sido premiado há três anos por A Fita Branca. Haneke foi aplaudido de pé pelos presentes ao receber a honraria. Amour conta a história de um casal na faixa dos 80 anos de idade que tem seus laços de amor testados quando um deles sofre um ataque cardíaco. O casal é interpretado pelos veteranos Jean-Louis Trintignant (Z, A Fraternidade é Vermelha) e Emmanuelle Riva (Hiroshima, Meu Amor e A Liberdade é Azul). Isabelle Huppert, em seu terceiro trabalho com Haneke (depois do controverso A Professora de Piano e do menos conhecido Tempos de Lobo), vive a filha do casal.

Haneke não foi o único cineasta de renome a ser homenageado. O italiano Matteo Garrone, agraciado em 2008 com o Grande Prêmio do Júri por Gomorra, voltou a receber o prêmio por Reality, obra que conta a história de um humilde pescador que é alçado à fama por um programa de TV análogo ao Big Brother. O filme despertou polêmicas na Itália por empregar o condenado à prisão perpétua Aniello Arena como ator principal. Beyond the Hills, novo trabalho do romeno Cristian Mungiu, recebeu os prêmios de Melhor Roteiro e Melhor Atriz – que ficou empatado entre as duas atrizes principais, Cosmina Stratan e Cristina Flutur. Já o irlandês Ken Loach ficou com o Prêmio do Júri por The Angels’ Share.

O prêmio de Melhor Direção foi para o mexicano Carlos Reygadas, por Post Tenebras Lux, enquanto Mads Mikkelsen (mais conhecido como o vilão Le Chiffre de 007 – Cassino Royale) venceu o prêmio de Melhor Ator por The Hunt, de Thomas Vinterberg. O prêmio Caméra d’Or, que premia o melhor filme de estreia, foi para Beasts of the Southern Wild, dirigido pelo norte-americano Behn Zeitlin. O longa já havia sido premiado na mostra Un Certain Regard e na última edição do Festival de Sundance. Finalmente, o prêmio de Melhor Curta-Metragem foi para Silence, do turco L. Rezan Yesilbas.

No sábado dia 26/05, o drama de guerra ucraniano In the Fog, de Sergei Loznitsa, foi agraciado com o prêmio Fipresci, da Federação Internacional de Críticos de Cinema.

Lista dos vencedores:

Palma de Ouro: Amour, de Michael Haneke.

Grande Prêmio do Júri: Reality, de Matteo Garrone.

Melhor Direção: Carlos Reygadas, por Post Tenebras Lux.

Melhor Ator: Mads Mikkelsen por The Hunt, de Thomas Vinterberg.

Melhor Atriz: empate entre Cosmina Stratan e Cristina Flutur, ambas de Beyond the Hills, de Cristian Mungiu.

Melhor Roteiro: Cristian Mungiu, por Beyond the Hills.

Prêmio do Júri: The Angels’ Share, de Ken Loach.

Caméra d’Or: Beasts of the Southern Wild, de Behn Zeitlin.

Melhor curta-metragem: Silence, de L. Rezan Yesilbas.

Prêmio Fipresci: In the Fog, de Sergei Loznitsa

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support