O Festival de Cinema de Cannes começou nesta quarta-feira, dia 16 de maio, com uma polêmica acusação de machismo por parte dos organizadores. A competição, que está em sua 65ª edição, não traz um filme dirigido por uma mulher – sendo que, até hoje, apenas uma mulher ganhou o prêmio do festival, Jane Campion, pelo filme “O Piano”, em 1993.

Virginie Despentes é uma das integrantes do grupo que protesta contra o Festival (Crédito: Reprodução)

O assunto foi trazido à tona graças a uma carta aberta escrita ao jornal francês Le Monde por um grupo de cineastas famosos. O grupo que criticava a ausência de filmes feitos por mulheres, intitulado A Barba, inclui cineastas como Virginie Despentes e Coline Serreau. Entre as ironias da carta, A Barba fala que os homens gostam de mulheres que tenham profundidade, mas apenas no que diz respeito aos decotes.

Dentre os 22 filmes que disputam o Palma de Ouro de 2012 (de fato, todos de diretores homens) estão “Amour”, do já agraciado Michael Haneke; “Rust and Bone”, do também já agraciado Jacque Audiard; “Vous n’avez encore rien vu”, do veterano Alain Resnais; “Cosmopolis”, de David Cronenberg; e a comédia “Moonrise Kingdom”, de Wes Anderson, filme que abriu a mostra ontem. Destaque também para “On the Road”, adaptação do brasileiro Walter Salles para o clássico de Jack Kerouac.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support