Intervenções de Otávio e Gustavo Pandolfo no Viaduto do Glicério foram removidas seguidas vezes (Crédito: divulgação)

“Sr. prefeito: nesta cidade existem muitos problemas sérios que precisam de resultados! Não gaste tempo e $ apagando graffiti nas ruas!”. Com essa frase, os irmãos e artistas de rua Otávio e Gustavo Pandolfo, conhecidos como Osgemeos, protestaram contra a ação da prefeitura de São Paulo, que cobriu seus grafites no Viaduto do Glicério feitos em abril e maio desse ano. A reclamação foi escrita sobre o mural apagado com tinta cinza pela prefeitura.

Alguns dias depois a Subprefeitura da Sé ordenou que pintassem a intervenção novamente. Os artistas, pela terceira vez, grafitaram então no espaço, escrevendo: “Sr. prefeito: apagar arte é apagar cultura, apagar cultura é desrespeitar o povo”. A tentativa não durou mais do que algumas horas, levando mais uma mão de tinta cinza. Não conformados, Osgemos seguiram deixando sua marca – o seu último desenho, sem frases, continua no local.

A Subprefeitura alegou que as primeiras inscrições foram consideradas pichações. Em nota, os grafiteiros manifestaram-se contra a política de cobrir a arte urbana feita nos muros: “A arte de rua vem sendo apagada na cidade ao longo do tempo. Esperamos com este alerta que a prefeitura de São Paulo e seus órgãos competentes PAREM definitivamente de apagar os grafites, respeitem e preservem a arte de rua em todos os seus segmentos”. A prefeitura afirmou que tomará providências para que as remoções não se repitam.

Esta não é a primeira vez que os artistas envolvem-se em polêmica com a administração da cidade: no início do ano passado, um grande mural feito pelos irmãos, pintado na lateral de um prédio no Vale do Anhangabaú, foi coberto pela prefeitura. Na época, a justificativa foi a prevista demolição da construção.

Otávio e Gustavo Pandolfo, nascidos em 1974, são formados em desenho de comunicação pela Escola Técnica Estadual Carlos de Campos, e atuam como grafiteiros desde 1987. Os trabalhos da dupla estão presentes em cidades de diversos países, como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Grécia e Cuba. Em 2008, chegaram a realizar uma pintura na fachada da Tate Modern (Londres) para a exposição Street Art, junto com outros grupos de artistas.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support