Fotos de Nair Benedicto chamam a atenção dos visitantes pelo conteúdo social (Crédito: FestFoto/Vinícius Roratto)

As fotos de Nair Benedicto, a homenageada da 6ª edição do Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre, confundem-se com a história social contemporânea do Brasil. Quem visitar a exposição de imagens de autoria desta fotógrafa paulista, que inaugurou na noite da última terça-feira, dia 21 de agosto, no Memorial do Rio Grande do Sul, verá dependurados por fios de náilon recortes de momentos representativos da vida brasileira nos últimos 30 anos, em preto e branco ou em cores, em sorrisos ou em sofrimentos.

A inauguração aconteceu no ensejo da abertura do FestFoto 2012, que neste ano debate a experiência coletiva em fotografia. Como bem lembrou o coordenador do festival, Carlos Carvalho, em sua fala de apresentação do evento, a fotografia de Nair é importante não apenas pela estética: a sua trajetória é marcada pelo olhar atento aos grupos excluídos ou marginalizados.

Um passeio rápido pelas fotos selecionadas para a exposição já permite a identificação da preferência de foco da autora – os índios, as crianças, as mulheres, os travestis, os sem-terra, os trabalhadores… Um mundo de pessoas que, pelas suas lentes, tornam-se elementos de rememoração, admiração, ou questionamento. Um olhar mais demorado para as fotos revela nuances de realidades que merecem a atenção, e não só por parte dos apaixonados pela fotografia.

Ao Nonada, Nair, que formou-se em Rádio e Televisão pela Universidade de São Paulo em 1972 e fundou a F4, uma das primeiras agências do país, revelou que a seleção dessas imagens não foi pensada como uma retrospectiva. “O que eu queria era contar histórias”, afirma a senhora de visível bom astral. Questionada se há na exposição alguma foto, ou série de fotos, que é especial para ela, comenta: “todas são representativas do meu trabalho, afinal, são tantas histórias…”.

Apontando para o grupo de três imagens coloridas de travestis no carnaval carioca, ela conta que, para fazê-las,  teve de se empenhar em um trabalho anterior ao clique, observando os fotografados e aproximando-se deles. Nota-se pela sua experiência que a fotografia engajada requer envolvimento e sensibilidade.

As imagens expostas compõem o livro “Vi Ver”, que será lançado nesta quarta-feira, dia 22, às 21h no Memorial. Praticamente metade delas nunca foram antes publicadas, o que gera na fotógrafa um especial carinho por esse lançamento. Textos de colegas seus acompanham as fotos no livro. Antes do evento, Nair participa da conversa da série “Encontros com o autor”, mediada por Carlos Carvalho, às 19h30.

Sobre a homenagem, a autora fala: “é um reconhecimento bem-vindo, ainda mais em Porto Alegre, cidade em que tenho tantos amigos, e em que há tantos fotógrafos que admiro”. Um dos ilustres colegas seus, visitantes da exposição, foi Luiz Carlos Felizardo, o homenageado do FestFoto do ano passado, que teve na ocasião sua exposição principal no Santander Cultural.

Nair Benedicto e Luiz Carlos Felizardo, homenageados do FestFoto em anos diferentes, encontraram-se na abertura do evento (Crédito: FestFoto/Vinícius Roratto)

O Memorial do Rio Grande do Sul fica na Rua Sete de Setembro, 1020 – Centro (Praça da Alfândega). Continue acompanhando a nossa cobertura do FestFoto ao longo da semana.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments