...

Projeto que pode acabar com o Fumproarte e o Funcultura em tramitação na Câmara

Com informações da AGES – Associação Gaúcha de Escritores

Ocorre nesta quarta-feira (11), na Câmara Municipal de Porto Alegre, a votação do projeto do governo Nelson Marchezan Júnior que altera o regramento dos fundos públicos municipais acabou não ocorrendo nesta tarde, já que outros dois projetos foram colocados em pauta antes. O projeto poderá colocar em risco a continuidade do Fumproarte e do Funcultura.

Se aprovada a proposta, o Executivo municipal poderá, ao final de cada ano, reverter até 90% dos recursos não utilizados de cada fundo público municipal (exceto os recursos oriundos do governo federal ou estadual e doações). Desta forma, os recursos dos atuais fundos públicos municipais ficariam liberados para serem drenados quase em sua totalidade para o novo Fundo de Reforma e Desenvolvimento Municipal, proposto por Marchezan no projeto. Atualmente, os fundos têm regime especial de gestão, normas próprias de aplicação, controle, prestação e tomada de contas e só podem ser aplicados para áreas e objetivos a que se destinam.

Atualização: O prefeito Marchezan emitiu na quarta-feira uma mensagem retificativa, na qual afirma que a proposta só é válida para os saldos financeiros existentes até 31 de dezembro de 2016 . A avaliação dos artistas é de que foi um recuo da prefeitura devido à mobilização, além de uma estratégia para escapar de pedaladas fiscais. Com relação ao Fumproarte, como denunciamos anteriormente, recursos que deveriam ser repassados da União à prefeitura exclusivamente para o Fundo foram desviados. Há também o receio de que, se aprovado o projeto, a prefeitura possa fazer o mesmo com relação a 2017.

Confira nossa cobertura

Fundos da cultura em risco

Além da reversão dos recursos não utilizados, a proposta ainda prevê que “serão extintos, mediante Lei, os fundos públicos municipais que não forem devidamente implementados em até três anos após a sua criação ou que não possuírem movimentação financeira por três exercícios financeiros consecutivos”. Para a Ages, este item cria as condições para que o Executivo desvie os recursos de fundos públicos como o Fumproarte e Funcultura para um caixa único representado pelo novo Fundo de Reforma, que ficará vinculado à Secretaria Municipal da Fazenda, permitindo que Marchezan aplique esses recursos da forma como quiser e nas áreas que desejar. Para que se configurem os pré-requisitos para extinção dos fundos públicos, segundo as novas regras que Marchezan quer impor, basta que o próprio prefeito se mantenha determinado a não injetar recursos neles, como tem ocorrido, avalia a associação.

Além do Fumproarte (Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural) e Funcultura (Fundo Pró-Cultura), a aprovação do projeto de Marchezan colocará em risco também os seguintes fundos públicos: Fundo Municipal de Desenvolvimento Desportivo; Fundo Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (Fumpahc); Fundo Municipal para Restauração, Reforma, Manutenção e Animação do Mercado Público (Funmercado); Fundo Pró-defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre (Pró-Ambiente); Fundo Municipal de Fomento ao Turismo; Fundo Municipal de Reaparelhamento do Corpo de Bombeiros (Fumrebom); Fundo Municipal de Iluminação Pública (Fumip); Fundo Municipal dos Direitos Difusos (FMDD); Fundo Municipal de Incentivo à Reciclagem e à Inserção Produtiva de Catadores; Fundo Especial Pró-mobilidade (Funpromob); Fundo Municipal dos Direitos dos Animais (FMDA); Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social (FMHIS); Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS); Fundo Municipal de Inovação e Tecnologia (FIT/POA); Fundo Municipal de Apoio a Implantação do Sistema Cicloviário (FMASC); Fundo Municipal do Planejamento Urbano (FMPU); e do Fundo do Conselho Municipal Sobre Drogas (FunComad).

O projeto também propõe a extinção imediata do Fundo Municipal de Compras Coletivas (Funcompras) e do Fundo Monumenta Porto Alegre, cujos recursos disponíveis nas instituições bancárias, segundo o prefeito, “poderão ser prontamente transferidos ao Fundo de Reforma e Desenvolvimento Municipal”.

Ler mais sobre
Opinião Políticas culturais

Artigo: deputados propõem Marco Regulatório do Fomento à Cultura

Políticas culturais Reportagem

Prefeitura de Porto Alegre usou projeto reprovado para licitar obra na Usina do Gasômetro

Coberturas Notícias Políticas culturais

Movimento de artistas realiza vigília em defesa dos espaços culturais