Trio da Rússia foi condenado após ato de protesto (Crédito: Divulgação)

Apesar de todos os problemas judiciais, no final das contas, a banda feminina de punk Pussy Riot começa a colher os frutos por sua ousadia. O trio está entre os finalistas do prêmio Sakharov de direitos humanos da União Europeia.

As integrantes do grupo – Maria Alyokhina, 24 anos, Nadezhda Tolokonnikova, 22, e Yekaterina Samutsevich, 29 – foram presas na Rússia em março e condenadas a dois anos de prisão por vandalismo depois de terem realizado um protesto contra o presidente Vladimir Putin na principal catedral de Moscou. A sentença aplicada contra elas provocou revolta na comunidade internacional, que clamou por uma pena mais branda.

 O prêmio Sakharov tem esse nome em homenagem ao dissidente do regime soviético Andrei Sakharov, que se opunha ao programa nuclear da antiga URSS e conquistou o Nobel da Paz em 1975. Os vencedores serão anunciados em 27 de outubro e o prêmio será entregue no dia 12 de dezembro, em Estrasburgo, na França.

 Os outros finalistas são Ales Belyatsky, ativista de direitos humanos bielorrusso, e dois iranianos, o advogado Nasrin Sotoudeh e o diretor de cinema Jafar Panahi. Todos cumprem sentenças aplicadas pela Justiça de seus países.

 Leia aqui  para saber como começou a confusão com a Pussy Riot

 

 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support